Trocando o sistema operacional do roteador wireless

Recentemente descobri a possibilidade de subir um firmware alternativo no roteador wireless, e com mais de uma opção; OpenWrt ou dd-Wrt, ambos projetos abertos. Então decidi executar o processo no meu roteador wireless com o único objetivo da diversão, por isso vou escrevendo o post conforme executo os passos.

A imagem que vou utilizar nesse primeiro momento é do dd-wrt. No site você encontrará uma base de dados dos dispositivos suportados. Eu vou exemplificar um update do meu roteador, um TP-LINK WR740N. Se você decidir fazer o mesmo no seu roteador, consulte toda a documentação do site e lembre-se: “tudo por sua conta e risco”.

21:37
Baixei os arquivos relacionados ao meu dispositivo. Não lí tutorial, não procurei por problemas nem nada. Agora estou iniciando a leitura do procedimento para subir o novo firmware. Já tenho uma idéia para um próximo post, que inicia nesse processo de prova-de-conceito.

21:47
Essa novela está me atrapalhando. Como a Carminha pode ser tão malvada?

22:00
Comercial. Vamos acelerar a leitura da documentação antes do update.
Tive que fazer uma pesquisa no google para chegar diretamente no link do howto. o link para a versão TP-LINK 740N v2.1.

22:06
A novela está me atrapalhando novamente. O Leléco pegou a ex de novo! Pobre tesália.

22:42
Oh, não! Li que o update só pode ser feito no IE. Será necessário entrar no Windows, aplicar o factory reset no dispositivo. Posteriormente subir o binário factory-to-ddwrt.bin e no final, o tl-wr740n-webflash.bin.

Esse dispositivo tem o lado positivo (sem o ‘dis’); o firmware pode ser aplicado via interface web. Copiei os arquivos para a partição Windows e vou iniciar o processo agora.

23:10
Não vou tecer comentários sobre o sistema MS, mas não deu certo. Então, voltei o Linux e fiz o acesso pelo Chrome. A atualização funcionou perfeitamente! O primeiro acesso após subir o firmware factory é configurar um usuário e senha para o dispositivo. Depois disso basta atualizar com o firmware do sistema.
A atualização deve ser feita por porta ethernet, quanto a isso não tem jeito.

23:16
Fiz as configurações básicas como de qualquer roteador wireless comum e habilitei o acesso SSH para o lado de dentro da rede. Nesse meio-tempo uma ratazana havia se conectado à minha rede e rodando um sniffing (ainda estava configurando a segurança wireless). Enfim, o repeli e coloquei alguns filtros extras. Vou navegar um pouco depois continuo.

00:23
Fiz um acesso ssh no dispositivo para pegar algumas informações. Especificamente esse dispositivo tem 32MB de memória e 350Mhz – o mesmo da board Carambola (que já está a caminho de minha casa).

O ipkg é um gerenciador de pacotes utilizado em plataformas embarcadas. No dd-wrt ele vem configurado por padrão. Isso facilita a instalação de pacotes disponíveis na base. O sistema também disponibiliza algumas configurações de captive portal, o que pode ser uma boa opção para autenticação, com redirecionamento para um servidor Squid (para o caso de tráfego intenso).

Outra coisa importante que notei foi o desempenho; essa nova imagem diminuiu a latência consideravelmente e o load das páginas está muito mais fluido.

Em suma, o processo de atualização de firmware nesse dispositivo é uma brincadeira de tão simples. Para um próximo post pretendo mostrar uma modificação desse firmware default a partir de sua extração. A compilação completa para a plataforma MIPS será feita com o OpenWrt para rodar na Carambola que está a caminho; atualize seu router e até o próximo post!

Comments

comments

Djames Suhanko

Djames Suhanko é Perito Forense Digital. Já atuou com deployer em sistemas de missão critica em diversos países pelo mundão. Programador Shell, Python, C, C++ e Qt, tendo contato com embarcados ( ora profissionalmente, ora por lazer ) desde 2009.

Deixe uma resposta