Pequenos cuidados ao utilizar Arduino para conectar as coisas

Esse Leonardo pode ser seu
Esse Leonardo pode ser seu

Na fase dos LEDs

Até mesmo enquanto na fase de brincadeiras com LED alguns erros são cometidos utilizando as conexões do Arduino. A exemplo do LED, ligando dois LEDs brancos de alto brilho ao mesmo pino para fazer PWM. Sua tensão é de 3.3v e considerando um resistor de 70ohms pra uma corrente de 25mA, já excederia a tensão (que é de 5v) e a corrente fornecida pelo pino (que é de 40mA). Mas em um controlador de LED como o 74HC595? – Aí está a questão; a fonte de alimentação dele não será o Arduino, mas sim uma fonte externa que voce deverá utilizar para suprir a corrente. Inclusive, esse controlador pode fornecer até 500mA, mas a fonte tem que oferecer essa capacidade, a corrente não brotará do vácuo.

Pensando dessa forma, como utilizar PWM com um controlador de LEDs? – Resposta simples – Você utilizará o pino PWM como terra do controlador. Um exemplo bacana de utilização do PWM com 74HC595 pode ser visto nesse post, onde trato de multiplexação de um display de 7 segmentos de 4 dígitos também.




Erros comuns ligando motores DC

corrente_de_um_motor_dc

Isso é algo que varia conforme diversos aspectos do motor, como tamanho, tensão e fatores de sua física, mas a grosso modo, é um comportamento geral pico de início e em alguns casos, retorno. Isso quer dizer que, um motor pode trabalhar continuamente a 20mA, mas para sair da inércia a força exigida o eleva a um pico de curto prazo que ultrapassa a corrente oferecida pelo pino. Pode não ser o suficiente para queimar a controladora, mas certamente pode causar anomalias no comportamento do programa rodando nela, por questões de instabilidade do timer etc.

Outra coisa que deve ser percebida é que para um simples start o pico é elevado e assim sendo, ao aplicar força de resistência sobre o eixo do motor, o esforço que ele aplicará para manter o motor rodando drenará uma quantidade enorme de corrente e aí sim, por tanto tempo quanto implicar a força exercida sobre ele. Então mais uma vez, é fundamental que a alimentação de motores DC sejam feitas através de fonte externa também.

Erros comuns ligando motores de passo

O Motor de passo trabalha de modo diferente, porém consome uma boa quantidade de corrente e também deve receber alimentação externa.

Flutuação no aterramento

A falta de um terra comum gera flutuação e instabilidade em conjuntos eletrônicos que venham a ser compostos com o Arduino. Isto é, você tem sua fonte de alimentação externa, um conjunto de componentes alimentados por essa fonte e se comunica com esse circuito utilizando o Arduino, mas cada um tem seu próprio aterramento. Creio que o melhor exemplo seria a comunicação serial através de qualquer protocolo, onde realmente não deve haver flutuações.

Escolha de resistores baseados em visual

Muitas pessoas que usam Arduino não sabem absolutamente nada de eletrônica. Foi meu caso; ousei iniciar-me em Arduino sem saber absolutamente nada e obviamente cometi (e ainda cometo) muitos erros. Não saber escolher o resistor foi um deles.

LEDs trabalham em diferentes tensões, não apenas por ser SMD, ou cabeça de 3mm ou cabeça de 5mm. Além disso, a corrente pode variar de 20 à 30mA, podendo ser limitado a menos quando desejado, mas exceder sua capacidade reduzirá sua vida útil. Se você ver um tutorial acendendo um LED amarelo difuso, saiba que muito provavelmente a tensão dele não será igual a de um LED branco de alto brilho, então a dica é: Use a fórmula de Ohms para saber o LED ideal. O cálculo de LEDs pode ser visto nesse post, ou você pode utilizar o programa recomendado nesse outro post.




Alimentação do Arduino

O recomendado é que você utilize tensão de 7v na entrada da fonte e 5v na USB. Isso porque na entrada da fonte tem um regulador de tensão, de forma que mante-lo no limite aquecerá esse componente e poderá queimá-lo. Já na USB, não é uma boa prática utilizar fontes porcarias porque não deve haver ruídos na alimentação USB, uma vez que não há filtros nela. Claro que se você estiver alimentando pelo notebook, improvável que tenha problemas, mas ligando na tomada um carregador porqueira ou um adaptador de tomada para USB feito nas encostas de Pequim você tem grandes chances de perder seu dispositivo.

Acionamento de relés sem proteção

Se você não está utilizando um shield para acionar relês, um dos problemas que você pode ter é um retorno da destrava quando você baixa a base. Para resolver isso, basta utilizar um diodo. Um conjunto completo para acionar o relé pode ser visto nesse post.

E você, teria alguma recomendação mais pra dar? Coloque seus comentários no site ou compartilhe-o nas redes sociais, estaremos lá para ver! E não se esqueçam, o sorteio do Arduino Leonardo é essa semana, então não deixe de se inscrever para concorrer,bastando seguir-nos no facebook para 1 chance em N, também no nosso canal noYouTube para 2 chances em N, nesses dois e também no Google Plus para 3 em N, no Twitter e nos 3 anteriores para 4 chances em N.
Não perca essa oportunidade!

Comments

comments

Djames Suhanko

Djames Suhanko é Perito Forense Digital. Já atuou com deployer em sistemas de missão critica em diversos países pelo mundão. Programador Shell, Python, C, C++ e Qt, tendo contato com embarcados ( ora profissionalmente, ora por lazer ) desde 2009.

Deixe uma resposta