MSP432 e seu RTC nativo

relogioNo post anterior sobre MSP432 você viu uma introdução à board e o quão interessante pode ser utilizar esse hardware, principalmente pelo fato de ter uma interface parecida com a do Arduino para facilitar a vida dos hobistas que já se divertem com essa plataforma. Claro, há uma diferença monstruosa entre as duas, principalmente porque a MSP432 é uma ARM, tem 4 timers de 16 bits, 2 timers de 32 bits, DSP, RTC e mais um monte de diversão que pode ser vista no post citado acima.

Nesse post vou mostrar como configurar o RTC dessa board utilizando uma biblioteca disponibilizada nesse link. Assista previamente o video porque há detalhes importantíssimos a considerar. Também, o video é uma forma de mostrar a qualidade de informação que disponibilizo no meu canal do YouTube. Aprecie-o e inscreva-se se gostar do video.

O tempo é medido em Unix Time (ou epoch time, ou timestamp), que é um inteiro não assinalado e 32 bits em segundos, desde 1970. Se você assistiu o video, já não tem mais surpresa em relação ao método de coletar essa informação e, sério, não sei como você pode fazê-lo no WIndows, mas também não tenho o menor interesse nisso. No Linux, simplesmente abra um terminal e digite:




Isso lhe retornará o tempo em segundos, como necessário. De qualquer modo, tudo se encontra online. nese link você poderá fazer a conversão sem problemas, caso use Windows.

Mãzzzz, você não precisa mexer nisso no final das contas, a não ser haja algum problema ou você pretenda reduzir o código. Problemas é comigo mesmo e acabei tendo que implementar uma gambiarra ‘em tempo de gravação’. Não é ideal essa prática, mas quebra o galho, depois o negócio é atualizar via serial, pegando o tempo um pouco mais preciso do notebook/PC. A parte do código que mexi foi essa abaixo (apenas para você se situar, caso deseje implementar a mesma gambiarra):

E outra assim:

__DATE__ e __TIME__ são populados em tempo de compilação, portanto você não precisa ter nenhum trabalho extra. Já na linha que se refere à conversão de string para timestamp, essa predefinição é utilizada e em caso de erro tem um tratamento em ‘else’ que você pode querer modificar, mas a principio você não precisa tocar no código.

Siga-nos no Do bit Ao Byte no Facebook.

Prefere twitter? @DobitAoByte.

Inscreva-se no nosso canal Do bit Ao Byte Brasil no YouTube.

Próximo post a caminho!

Comments

comments

Djames Suhanko

Djames Suhanko é Perito Forense Digital. Já atuou com deployer em sistemas de missão critica em diversos países pelo mundão. Programador Shell, Python, C, C++ e Qt, tendo contato com embarcados ( ora profissionalmente, ora por lazer ) desde 2009.

Deixe uma resposta