Criando um virtualenv com Python

Virtualenv
Virtualenv

Existem diversas opções para quando você não quer macular um sistema. Por exemplo, você não quer ficar instalando pacotes em um servidor utilizado por uma equipe para não prejudicar seu funcionamento, então você poderia fazer:

Chroot

Você pode criar um ambiente mínimo para trabalhar dentro dele com chroot Debian. Para isso, você pode instalar o programa debootstrap e então criar seu chroot assim:

Máquina virtual

Você pode utilizar uma máquina virtual utilizando Xen, QEmu, VirtualBox ou outra coisa que desejar. Escrevi como emular uma máquina ARM para desenvolvimento nesse artigo e nesse outro escrevi também para desenvolvimento do Raspberry Pi de forma similiar.

Docker





Docker é uma ótima opção. Na minha opinião ele é melhor do que o Xen em modo para-virtual, porque não necessita nenhum ajuste no kernel, você simplesmente instala e usa. Mas ele não é um virtualizador nem um para-virtualizador, o docker faz isolamento de processos e é utilizado inclusive pelo facebook.

Escrevi um pouco sobre docker e como utilizá-lo de forma breve, mas útil. Veja nesse artigo.

Criando um virtualenv com Python

Se você quer desenvolver algo em Python sem macular o sistema nativo, você pode (e talvez até devesse) utilizar o virtualenv. Ele cria um ambiente virtual para você desenvolver em Python, de modo que você poderá instalar toda sua tralha nele. Depois de finalizado os testes, basta desabilitá-lo e removê-lo do sistema, se for o caso. Não é necessário nenhuma configuração especial e ainda por cima tudo fica em um diretório escolhido por você, para apagá-lo, basta um ‘rm -fr’.

Claro que para utilizar o recurso ele deverá ser instalado no sistema, mas não afetará em nada o restante do ambiente:

Para criar seu primeiro ambiente, basta digitar o comando virtualenv seguido do nome desejado:

E ele mostrará uma mensagem parecida com essa:

New python executable in /home/djames/DobitAoByte/bin/python
Installing setuptools, pip, wheel…done.

Após isso, basta acessar seu novo ambiente:

O PS1 exibirá o nome da imagem ao início. Agora você está hábil a instalar pacotes utilizando pip, sem deixar rastros no sistema nativo, podendo assim trabalhar a vontade!

Para sair e desativar o ambiente, digite ‘deativate’. Pode removê-lo seguramente com ‘rm -rf’ se desejar. E daí por diante; desse modo você pode ter inclusive diferentes versões de python em diferentes ambientes virtuais de forma fácil e rápida!

Inscreva-se no nosso newsletter, alí em cima à direita e receba novos posts por email.

Siga-nos no Do bit Ao Byte no Facebook.

Prefere twitter? @DobitAoByte.

Inscreva-se no nosso canal Do bit Ao Byte Brasil no YouTube.

Nossos grupos:

Arduino BR – https://www.facebook.com/groups/microcontroladorarduinobr/
Raspberry Pi BR – https://www.facebook.com/groups/raspberrybr/
Orange Pi BR – https://www.facebook.com/groups/OrangePiBR/
Odroid BR – https://www.facebook.com/groups/odroidBR/
Sistemas Embarcados BR – https://www.facebook.com/groups/SistemasEmbarcadosBR/
MIPS BR – https://www.facebook.com/groups/MIPSBR/
Do Bit ao Byte – https://www.facebook.com/groups/dobitaobyte/

Próximo post a caminho!

Comments

comments

Djames Suhanko

Djames Suhanko é Perito Forense Digital. Já atuou com deployer em sistemas de missão critica em diversos países pelo mundão. Programador Shell, Python, C, C++ e Qt, tendo contato com embarcados ( ora profissionalmente, ora por lazer ) desde 2009.