Android – Análise do tablet Coby Kyros

Já há alguns bons dias que não faço um post sobre Arduino na esperar de alguns componentes, então enquanto isso vou iniciar alguns artigos sobre minhas aventuras no Android. Iniciarei fazendo uma análise sobre o tablet da Kyros, o Coby MID7015.

Primeiras e segundas impressões

Dizem que a primeira impressão é a que fica, mas penso que isso depende de a primeira impressão não ser um equivoco.
Ao fazer o unpacking, fiquei um tanto empolgado ao me deparar com uma bela capa de couro envolvendo o dispositivo. Ao tirá-lo da caixa, ainda houve tempo para apreciação e não levei em conta seu peso até que o tirei da capa. Apesar de seu peso um tanto exagerado, ainda assim estava empolgado, mas já decepcionado com um detalhe – não é possível inserir o cabo mini-usb no dispositivo com ele na capa, pois uma das travas que mantém o dispositivo preso à capa fica exatamente sobre a porta mini-usb.
Ele possui uma entrada (mini?) HDMI e a entrada de alimentação por fonte de 5V. O material do dispositivo parece de boa qualidade e o botão redondo da imagem parece que não vai descascar, como acontece com o botão dourado do Milestone 1. Ainda no perfil do dispositivo, podemos encontrar o botão on/off, que deve ser acionado por um tempo tanto para ligar quanto para desligar. Na parte de trás, um pequenino botão para fazer reset e acredite, você provavelmente irá usá-lo.
Possui uma boa conexão wifi (até onde pude testar). Em relação a duração da carga de bateria, infelizmente não poderei dizer nada pois como fiz rooting no dispositivo o mantive em alimentação externa todo o tempo.
A maior decepção que tive com ele é em relação a tela, que é touch screen (óbvio! Mas…) resistivo (e bota resistivo nisso).

Seu processador é um 486MHZ com overclock para 499MHZ e tem uma latência alta.

Entrando no Android
A segunda impressão começou no momento que entrei no sistema. A rom é velha e com a interface feia do Milestone, ou seja, não houve nenhuma personalização do sistema para o tablet e pior que isso, nem modificação houve. Ao desligar o sistema, aparece a mensagem: “Seu telefone será desligado”. Telefone?

As ROMs de Android modificadas não podem vir com as apps do google, então é necessário um procedimento que obviamente nenhum usuário comum se disporá a fazer, que é o rooting do dispositivo para a instalação do Marketing. Ou seja, se você é um usuário comum que deseja ter um tablet e acesso a downloads de aplicações para ele, o Coby não é o seu tablet (exceto você me pague para fazer a instalação).

Fazendo rooting no dispositivo
Fazer o primeiro rooting é um trabalho árduo, mas para os próximos acessos a tarefa se torna simples, uma vez que todas as ferramentas estarão em sua máquina.
Segui o procedimento descrito nesse link, porém o ambiente que montei foi para acessar o dispositivo através do Linux, então fica a seu critério o ambiente de acesso a utilizar.

O primeiro passo após entrar no sistema é colocar em modo de depuração USB. Para isso, entre em Settings > Aplications > Development e certifique-se de deixar ativo USB Debugging (yes, tudo em inglês).

Depois disso, ative seu wifi em Settings > Wireless & Networks > WIFI, então Wi-Fi settings.
Selecione seu ponto de acesso.

No desktop tem um icone que referencía a AppsLib. Procure o mmaapp no gerenciador de arquivos e instale-o, depois feche a AppsLib.

Depois de obter o acesso a raiz do sistema, é fácil destruí-lo, então a partir desse ponto recomendo cautela. Através da USB ou de um cartão micro SD, copie o aplicativo z4root para a raiz do cartão. O aplicativo pode ser encontrado nesse link, ao final da página.

Com o cartão micro sd no Coby, abra o gerenciador de arquivos, e na raiz do sdcard, clique no aplicativo para instalá-lo. Ao final, abra o aplicativo e faça Permanent Rooting. Feito isso, o dispositivo efeturará reboot.

Agora vem a parte mais dolorosa, que é baixar todo o ambiente para acessar o dispositivo.JDK6 (necessário registro gratuito).Android SDK

Não vou descrever o procedimento para acesso em Windows. Se quiser fazê-lo, acesse o link de referência desse post. Vou descrever o processo em Linux, que é muito mais simples ao meu ver.

Dentro do SDK do Android, no diretório tools, execute ./android update sdk. Eu instalei tudo do SDK.

Instalando ClockworkMod
Baixe daqui ou daqui o recovery.img e coloque-o na raiz do sd card.

Certifique-se de que agora o dispositivo está ligado à USB do computador que fará acesso remoto ao dispositivo.

Entre no nível de diretório android-sdk-linux_x86/platform-tools e execute esses 3 comandos:

./adb kill-server
sudo ./adb start-server

./adb devices

Se aparecer um dispositivo reconhecido, pode seguir adiante, senão, resolva esse pepino primeiro.

./adb shell

Ao chamar o shell, você deverá cair na raiz do dispositivo, onde verá um ‘$’. Digite ‘su’ para obter acesso de root. O dispositivo apontará na tela (ou não?) que o acesso de root está sendo solicitado. Confirme esse acesso. Seu prompt deverá exibir ‘#’.

flash_image recovery /sdcard/recovery.img

Saia do dispositivo (exit e exit) e digite:

./adb reboot recovery

Existe mais uma maneira de acessar o recovery nesse dispositivo sem a necessidade do acesso através do adb, mas esse método explicarei no artigo de atualização do firmware do Milestone, em um próximo artigo.

Ao entrar em modo recovery, os botões do sistema terão as seguintes funções:

Home - para baixo no menu
Menu - seleciona
Back - Volta (óbvio não?)

Vá até backup e restore e faça o backup, depois reboot no dispositivo.

Baixe o gapps-passion-EPE54B-signed.zip para a raiz do cartão e repita o processo para cair no modo de recuperação.

Instale o google apps, mas não se esqueça de zerar o cache (é uma das opções do menu) antes de reiniciar o dispositivo.

O Coby agora terá acesso ao Marketing e será possível instalar novos aplicativos.

Considerações finais
Particularmente eu não compraria um dispositivo que não fosse possível utilizar um SIM para acesso 3G. Outra característica que para mim é ponto contra é a tela resistiva.

Dentro do sistema, a única coisa que vi (e achei desapontante) foi a modificação do kernel, de onde foi excluida a possibilidade de pegar o config dele, o que deveria ser padrão. Para gerar um config para compilar um novo kernel tive que baixar uma ROM padrão de outro sistema e gerar através da ferramenta extract-ikconfig, no diretório scripts do source do kernel do Android. Em outro post explicarei onde baixar o source e como compilá-lo, passando por cima de alguns bugs encontrados durante a compilação.

No próximo post falarei sobre um hacking no Milestone, onde coloquei o Android 2.3 do ROM da CyanoGenMod. E acredite, o Milestone ganhou outra vida!
Até o próximo post.

Comments

comments

Djames Suhanko

Djames Suhanko é Perito Forense Digital. Já atuou com deployer em sistemas de missão critica em diversos países pelo mundão. Programador Shell, Python, C, C++ e Qt, tendo contato com embarcados ( ora profissionalmente, ora por lazer ) desde 2009.

Deixe uma resposta